Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





Escuto os cantos dos pássaros

Sentada debaixo desta arvore

Mergulhada em pensamentos

Envolvida pela tenra ânsia de meu ser


Quisera eu ser como eles

E entoar a melodia que grita em mim

E que por horas toma-me deste mundo

Para um desconhecido universo imaginário


Como queria ter asas

E ao céu dedicar meus vôos

E fitar até mesmo o menor lugar


Procurar qualquer galho para descansar

E ali, bem ali cantar

Para quem estiver embaixo poder escutar.


(J.L.)




"Andei, andei, andei até encontrar..."


Não é uma das musicas mais românticas que posso cantar, mas no momento é a única que pode expressar o que meu coração sente.

Sem destino eu fui, caminhei, hora sem destino, hora convicta de nosso encontro

Não que eu seja merecedora, mas, algo me impulsionava para ti

E eu, que por tantos dias estava distante me encontrei

Pude olhar para ti e a lágrima, de alegria rolou

Meu amor, meu amor! Foi bom te encontrar mesmo que por um instante

E neste instante pude perceber quão grande ainda é o amor em meu peito

Tanto que me atraiu para teus braços

E neste justo lugar que agora me encontrava

Protegida e frágil como uma criança

Lancei-me naquele momento na vertente de pensamentos

Que hora me fizeram te buscar

E nesta onda intensa quem buscava quem? Quem desejava quem?

Meu amor, meu amor! Que tanto me conhece

Já era hora de ir...

Eu precisava ir...

Sabes o que existe em mim e por isso, eu ainda não podia voltar

Sentir teu abraço me foi importantíssimo porém ainda não há como encarar

Olhar para mim ainda é ver a distancia do meu coração doido

Por um instante ele se achegou e pelo mesmo instante tinha de partir

Meu amor , meu amor!

Agora tenho de ir e sei que ainda haverá reencontros entre nós

Eu preciso andar e deve ser para te reencontrar por mais vezes

Nessa minha busca a única certeza que tenho é que o amor precisa ser livre

E nesta liberdade que me concede vou tentando acertar

O amor livre sabe esperar e com hipocrisia jamais irei enganar-me e te enganar

Conhece-me tão bem, tão bem que sei que espera o meu voltar...

E foi neste instante que mostrou-me a eternidade do Saber Amar.


(J.L.)



Eu nunca provei teus beijos

Nunca provei teus abraços profundos

Sei que um dia apareci em seu mundo

São coisas que as vezes não sabemos como explicar

Alguém chega e chega para ficar

Como estrela brilha e faz brilhar

Nem sei que impacto tive

Talvez não tenha tido nenhum

Porém meu coração sentiu

O que não sentiu por qual um

Foi encanto no olhar

Uma alegria no falar

Mas uma distancia

E que distancia a nos separar!

E tudo se fez poesia de um doce recordar

De um inexplicável dia

Que a noite posso recordar

Olhando as estrelas no céu

Porque assim me fizeram sonhar.


(J.L.)



Sou jovem Meu Senhor

Mas aqui dentro há uma dor

Tenho esquecido de ti

Esquecido do Teu Amor


Andei por tantos lugares

Mais nada eu encontrei

E muito eu chorei

Neste mundo eu só me enganei


Sou jovem Meu Senhor

Mas também sou pecador

Vim aqui reconhecer

Perdão! Sem Ti não sei viver


Traz de volta os sonhos meus

Põe meus passos nos caminhos teus

Em teus braços quero está

Teu amor alegria me dá


Minha vida vou te entregar

Tua graça vem derramar

Sou jovem e também sou pecador

Mas aos teus pés agora aqui estou.

(J.L.)



Foi tudo tão rápido

Você se foi e eu fiquei

Fiquei mais uma vez com o amor que sinto trancado

Você foi tão frio

Tão distante

Não sei o que pensas

Talvez seja melhor amar-te em silêncio.


(J.L.)








Olhar nos teus olhos nunca pude

Ouvir o seu sorriso, isso me alegrava

Sentir sua mão eu muito desejava


Muito me esforcei para ninguém perceber nada

Sei que por você jamais serei amada

O que quero é ser feliz e não ser apenas desejada


Julguei-me apaixonada

E não estou errada

Eu não quero passar o tempo

Quero amar e ser amada


Se não há conspiração ao meu favor

Perdoa-me por favor

Passarei sem rancor

Porque de migalhas não vive o meu amor.

(J.L.)



Composição : Totonho Villeroy e Bebeto Alves

Eu quero uma lua plena
Eu quero sentir a noite
Eu quero olhar as luzes
Que teus olhos
Não me têm deixado ver
Agora eu vou viver...
Eu quero sair de manhã
Eu quero seguir a estrela
Eu quero sentir o vento pela pele
Um pensamento me fará
Uma louca tempestade...
Eu quero ser uma tarde gris
Quero que a chuva corra sobre o rio
O rio que por ruas corre em mim
As águas que me querem levar tão longe
Tão longe que me façam esquecer
De ti...
Eu quero partir de manhã
Eu quero seguir a estrela
Eu quero sentir o vento pela pele
Um pensamento me fará
Uma louca tempestade...
Eu quero uma lua plena
Eu quero sentir a noite
Eu quero olhar as luzes
Que teus olhos
Não me têm deixado ver
Agora eu vou viver...
Eu quero ser uma tarde gris
Quero que a chuva corra sobre o rio
O rio que por ruas corre em mim
As águas que me querem levar tão longe
Eu quero ser uma tarde gris
Quero que a chuva corra sobre o rio
O rio que por ruas corre em mim
As águas que me querem levar tão longe
Tão longe que me façam esquecer
De ti...
Tão longe que me façam esquecer
De ti...




Tanta correria

Para quê?

Dias agitados tem sido os meus

Ligeiramente tomados

A noite chega

Demasiadamente longa

Sem sono

Num disparate de pensamentos

De uma mente cansada sem descanso.

(J.L.)




"Sou a distância que perto queria estar
O abraço sozinho
Sem carinho a reclamar
Sou o olhar perdido
A solidão do triste amar."

(J.L.)



Indo devagar

Não tenho mais pressa para nada

Tão cansada deste engano

Da pressa que não nos permite o conhecer

Cada coisa no seu tempo

Na sua hora

Nem pressa para rir

Nem pressa para chorar

Nem pressa para amar ou desamar

Nem pressa com o que será

Hoje, exatamente hoje

Que me venha o que for

Não mais me surpreendo

Com as inconstâncias de cada ser

Cada um é um

No seu direto de viver

Se hoje não tenho pressa

Acredite

Já cansei de correr

E só cansei...


(J.L)






“ E aquele lugar lhe era indiferente

Não satisfazia seu coração

E o prazer que escorria dos seus olhos

Por entre as depravações provadas

Manchavam sua alma

Sabia o que devia fazer

Mas seu orgulho e o prazer

Nunca lhe deixaram vencer.”


(J.L.)




É, chega um dia em que é preciso decidir, porque o coração pede e a mente exige.

Chega o dia em que é preciso decidir sobre o real e o imaginário.

Chega o dia em que é preciso vencer os medos e ter coragem de encarar os fatos.

Chega o dia em que é preciso ter um confronto consigo mesmo e vasculhar a dor, a alegria, o querer...

Olhando agora em mim eu vejo o que quero e percebo que estou dando os passos errados. Deixei de perseguir meus sonhos, na verdade, até deixei de sonhá-los, eu quis viver de momentos, mas não estou feliz. Meu coração chora, grita, quer mais...

Pequenos momentos não satisfazem o anseio do meu coração que quer ser amado, apenas ser amado...

Dias vazios, solitários, como o de hoje, que me prendem no imenso mergulho por entre meus sentimentos, por entre meus tormentos...

É olhar perdido no horizonte que pergunta:

- Tem sentido? Onde está?

Eu não vejo, também não o sinto!

-É assim que deseja?

Não, não é! Eu sonhei diferente, eu imaginei diferente!

-Quem errou?

Eu errei! Porque pensei que podia mudar, porque pensei que o tempo ia mudar, pensei que meu amor ia te tocar, mas agora vejo, não se pode forçar a barra, não se entra sem permissão, a porta tem que estar aberta, o coração precisa fazer a recepção. Mais que simples atração, eu quero emoção, quero paixão, quero doação, quero atenção e se não for por si mesmo não será por minhas exigências, porque não quero minha e unicamente minha satisfação!

Foi quando percebi a rejeição,no falar, no desfazer,no esconder, que tive que rever, não poderei ser o que quero em sua vida, não há espaço para mim... A gente luta até onde dá! Não é assim?

Eu errei e preciso consertar, consertar minha vida, meu pensar, meu sentir...

Não há culpado maior do que eu mesma que permitir envolver-me quando não devia, quando deixei o amor crescer e roubar meus pensamentos. A solução agora é prendê-lo porque liberdade para ele não existe, a porta é fechada,não poderá ser acolhido. Eu sei que chorarei por vê-lo assim, mas é preciso afastá-lo de mim, é o melhor a fazer, vai ficar lá trancado,esquecido, repudiado, já é assim por quem tu desejou amar, agora também por mim será.

Eu decidi que ainda quero viver, então preciso esquecer e permitir o meu ser encontrar nova razão, preciso fazê-lo renascer.

Tenho que deixar morrer o que não tem sentido e deixar viver o que me dará sentido.

Chega o dia em que é preciso decidir!

ALGUÉM PRECISA DECIDIR!

Não se pode retardar o óbvio, chegou até aqui...

Um fim...

Para um novo recomeço!

Essa é a verdade!

(J.L.)



Não! Eu não volto

Voltar é dar um passo atrás

Eu prefiro passos adiante

Do novo, do desconhecido

Mesmo que seja com dificuldades

Voltar para mim não é nova oportunidade

Oportunidade é o que me vem

Não o que me volta

Eu recomeço...

Um novo caminho, de um jeito diferente

Lutei para não chegar a separação

Não queria e estava a disposição

De não deixar sua mão para que nem eu nem você

Seguissemos outro atalho

Mas você escolheu diferente

Sem mais certezas e com indecisões

Preferiu suas realidades de ilusões

Quando fiquei só tive de seguir outra estrada

Chorei e choro

E não é querendo voltar àquele ponto de partida

Ou esperando que retornes para mim

Minhas lágrimas eram e são,

Justamente por saber que, eu mesma,

Jamais voltaria.

(J.L.)





Te amo com paciência
Com carinho e sem prepotência
Com vontade de me aproximar
Mas com medo de me dispensar
Com vontade de te abraçar
E com medo de me virar
Virar-me as costas sem pensar
Que irá fazer-me chorar
Chorar por tanto te amar
Sem saber como expressar
Por isso tranquilamente espero
O teu olhar me encontrar
E cheia de amor, amor,
Com amor vou te beijar.

(J.L.)




" Tu que permaneces escondida
Em algum lugar do meu ser
Um dia te sorrirei com a vida
Alegria, alegria. Alegria!? "

(J.L.)





Amor...

Nada poderá nos separar!

Nem o tempo, nem a distância, creio eu que nem a morte, pois o amor que sinto é vivo, forte e minh’alma sabe disso.

O meu coração sente sua falta e não desacredita do teu amor por mim e isso faz-me amar mais e mais.

Os nossos olhares, os nossos desejos fitam o mesmo horizonte e os nossos corações nunca poderão negar esse amor, pode passar o tempo que passar mas sempre iremos nos amar, não por querermos mas por nos amarmos sem querer, pois nosso amor não só é infinito como também INEXPLICÁVEL.


(J.L.)






Quem nunca quis morrer
Não sabe o que é viver
Não sabe que viver é abrir uma janela
E pássaros pássaros sairão por ela
E hipocampos fosforescentes
Medusas translúcidas
Radiadas
Estrelas-do-mar... Ah,
Viver é sair de repente
Do fundo do mar
E voar...
e voar...
cada vez para mais alto
Como depois de se morrer!

(Mário Quintana)





Para onde os ventos te levaram?
Para onde minhas águas te impulsionaram?
Não te vejo em nenhum porto
Não apontas agora no horizonte
Tão longe está...

E tenho águas que te esperam a beira da praia
Com a tranquilidade que sabe chegar
E tu prefere as tempestades
Prefere as revoltas de teu mar
É ai que te sentes bem

E se sente saudade em busca da calmaria vem
Sou todo teu e no alto de mim navegas
Sabe que pode voltar
E minhas águas infindas estarão lá
Eu mar, eu mar...

Em liberdade te possuo
Sob ti estou, sobre mim está
Eu do meu barco e tu de teu mar
Entre sonhos e anseios a singrar

Toda beleza que temos
E juntos podemos partilhar
Tu Barco e eu Mar
Nosso destino nos leva a amar
Os ventos que faz nos aproximar.

(J.L.)


Ela olha a mentira se decompondo

Daquele “castelo de verdades” que foi criado

Porque o castelo era de areia.


(J.L.)



Nem versos, nem flores

Nem presentes ou música

Poderiam traduzir tua essência


Não há um dia só para ti

Todos os dias és minha alegria

Meu arauto de ensinamento


Aprendi sempre contigo

Desde quando me ensinavas a andar

A falar e orar, escrever e sonhar

Da Verdade não me desviar


Sou Filha que as vezes me distancio

E não sei como me expressar

Tu és MÃE e vai além do que posso imaginar

Por isso que teu verbo é AMAR.


(J.L.)

Nos dias ensolarados do outono frio vaga o menino pelas ruas. Torto, pelas esquinas, segue seu caminho de sempre, olhando o passar daquela gente como se nunca tivesse visto antes.

Existe algo que o menino procura, que vive a esconder-se pelas frestas, pelo destino. Em outros dias chegou tão perto que achou ter feito sua descoberta. Perdeu-se no engano, no vazio, na distância.

Nesse dia ensolarado, que vários dias e noites durou, seu tesouro passou perto, tocou-lhe as mãos, soprou em seu ouvido e foi-se, pra nunca mais voltar.


Retirado do blog: www.maninhoonline.com.br/blog





"Os que semeiam entre lágrimas ceifarão com alegria." (Salmo 126:5 )


Não me importo com as lágrimas derramadas

Nem com quantos dias ainda ei de chorar

Eu permito que caiam o tanto que quiserem rolar

Não me encho de hipocrisia fingindo-me de bem-estar

Se for para rir eu rir e choro se for para chorar

Mas nenhuma gota chega até ninguém

Não quero felicidade em cima da tristeza de alguém

Eu perco, choro, renuncio ao que for

Para não ver nenhum chorando meu desfavor

Meu eu não me permite ser diferente

Dou flores e fico com os espinhos

Que sintam o cheiro e eu a dor do sangue que escorre pelas mãos

Não sou melhor por isso

O que não sou mesmo é pior pelo contrário disso.


(J.L.)



Ventos...

Que me trazem pensamentos antes ignorados...

(J.L.)



Desta vez foi a pior vez

Acreditei além

Enganei-me por demais

Desta vez eu me perdi

Vivi a história só

E minhas páginas eram bem mais

Desta vez não mais desejo

Nem palavras, nem olhar

A hipocrisia fala assim

E por isso feriu em mim

Desta vez eu volto a ser sozinha

Como sempre deveria ter sido

Porque de tanta ferida

Já não tem mais dor pra ser sentida.


(J.L.)




Composição : Toquinho / Vinicius de Moraes


Tem dias que eu fico pensando na vida
E sinceramente não vejo saída.
Como é, por exemplo, que dá pra entender:
A gente mal nasce, começa a morrer.
Depois da chegada vem sempre a partida,
Porque não há nada sem separação.
Sei lá, sei lá, a vida é uma grande ilusão.
Sei lá, sei lá, só sei que ela está com a razão.
A gente nem sabe que males se apronta.
Fazendo de conta, fingindo esquecer
Que nada renasce antes que se acabe,
E o sol que desponta tem que anoitecer.
De nada adianta ficar-se de fora.
A hora do sim é o descuido do não.
Sei lá, sei lá, só sei que é preciso paixão.
Sei lá, sei lá, a vida tem sempre razão.


"Quem reclama demais do trabalho esquece de aproveitar as oportunidades."

Costumam dizer que o trabalho dignifica o Homem. Podemos assim ver, que quem gosta do seu trabalho , trabalha com amor e está sempre na luta, aperfeiçoando, criando, inovando, aprendendo... Os "reclamões de plantão" perdem tempo, sua insatisfação não os tira do lugar, estão repentindo sempre os mesmo erros, a mesma lamúria, não conseguem enxergar o progresso, estão atrelados demais ao "muito trabalho" que pouco conseguem desenvolver.

Tem muita gente na limitação do trabalho mau feito, simplesmente porque recebe pouco e na sua própria opinião trabalha muito. Trabalho é trabalho. Muito ou pouco é trabalho e deve ser feito sempre da melhor forma. E creio, as pessoas sempre sabem quem dar o melhor de si em alguma coisa.
Lembre-se: Seu trabalho não é para o seu chefe, seu trabalho é para você mesmo.



(J.L.)




Quem não gosta de ser lembrado?

Todo mundo gosta de ser lembrado e todo mundo lembra de alguém no mundo. É aquela saudade que muitas vezes bate lá no fundo, a lembrança que chega porque alguém fez parte do seu mundo.

Nem sempre quem é lembrado sabe que foi lembrado.Nem sempre quem lembrou conta suas lembranças. Mas elas permanecem, não expressadas, compartilhadas, não esperadas, vividas, sofridas, alegres, tristes, repartidas, eternas...

A lembrança lembra de alguém de perto ou de longe, tão perto, tão longe, ausente, presente, ela é insistente, vai além do além da gente.

Quem nunca mergulhou em suas lembranças e não lembrou de momentos tão pequeninos, porém, significativos?


Quem nunca não pensou: Será que ele ou ela lembra de mim? Da amizade, do amor, da paixão, da cumplicidade, da dedicação, da doação, da canção, da emoção, da liberdade, igualdade, fraternidade, oração...

Nem sempre sabemos o quanto fazemos parte da vida do outro, seja com um simples sorriso, um aperto de mão, um ombro amigo, uma lágrima de irmão, uma palavra bonita ou um grande sermão...

Mergulhei em minhas lembranças e de tantos que lembrei tu estavas lá, porque fizestes e fazes parte da minha vida, das minhas lembranças...

E se fazes é porque de alguma forma tocaste meu coração, com sua particularidade, com seu jeito de ser você que não me deixou esquecer. E para minha lembrança não ficar em meio ao vão, eu comecei a rabiscar o papel, para eu sempre lembrar que mesmo que julgue que sua passagem pela minha vida tenha sido rápida, não alicerçada, não explorada, a lembrança existe e ainda poderá nos reaproximar.

Acreditas nisso??

Então não se esqueça de lembrar!!

(J.L.)