Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!






Desde o início o homem nunca quis ser culpado de nada, enquanto ele pode achar outros para colocar o seu erro ele assim o faz. Deus perguntou para Adão por que ele comeu da fruta do pecado e Adão disse que não foi culpa dele mas da mulher que o induziu, e Deus perguntou para Eva por que ela havia feito isso e Eva colocou a culpa na serpente. Eva poderia ter escolhido não comer a maçã e muito menos ainda depois de pecar ter induzido Adão a fazer o mesmo. Adão também poderia ter escolhido não comer da maçã, mas a escolha foi dele, quem escolheu foi ele e ambos poderiam ter assumido suas culpas mas preferiram colocar a culpa no outro. Somos responsáveis por nossas escolhas ninguém mais é, quando algo nos é colocado temos o direito de escolha.
Recordo-me de um fato, no qual vivi uma situação difícil na adolescência, comecei a namorar um rapaz e já estávamos com um mês e tudo ia as mil maravilhas, quando me veio um amigo falar que o viu com outra menina. Pense em como fiquei totalmente desnorteada, não sabia o que fazer, em conversa com algumas outras pessoas elas me diziam para lutar e que ele escolhesse assim quem era a “melhor” , mas, a questão não era ser melhor ou pior, logicamente ela chegou depois de mim então quem tava sobrando na história era ela. O que fazer? O que pensar? Como agir? Ainda mais quando recordava as palavras dele , quando disse-me que ele era sincero e que se um dia surgisse o desinteresse por mim ou outro pessoa ele me diria a verdade.
Quando o chamei pra conversar, ele mentiu, disse que nem conhecia aquela garota, que não sabia do que eu estava falando. Se ele tivesse dito a verdade eu teria tirado meu chapéu e teria assim tido minha profunda admiração. Ele poderia ter assumido seu erro não poderia?? Mas preferiu enganar a si mesmo.
Eu não conhecia aquela menina, não sabia de nada de sua vida mas descobri que gostava muito dele, não que eu não gostasse, porque eu gostava, talvez meu sentimento não fosse menor que o dela, mas eu não poderia ferir aquela menina, mesmo não a conhecendo, mesmo ela tendo chegado depois... eu não tinha direito de culpá-la, porque ela de nada sabia, pois se soubesse, ai sim, ela teria alguma culpa, então eu decidi, já que eu tinha descoberto tudo, ficar mesmo só para mim aquela decepção. Então escolhi sair da vida dele.
Passado alguns dias , acredite, eu a conheci, não era minha vontade ter nenhum contato com ela, nos tornamos amigas, por vezes ela me falava daquele rapaz, que eu renunciei. Eu a escutava, não interferi, nem persuadi nenhuma de suas decisões, eu via o quanto ela gostava dele, mas deixe o tempo falar a ela ... Ganhei uma grande amiga, até hoje ela me cativa com sua personalidade forte, ela é parecidíssima comigo, temos muito em comum. Sei que escolhi a coisa certa quando tomei aquela decisão, eu não sei se ela teria a mesma atitude que eu, apesar dela se parecer comigo, o que sei é que existia as duas faces da moeda e naquele momento eu preferi perder. Em resposta eu ganhei uma das melhores amiga que tenho.
Sem pretensão de colocar culpas em alguém eu preferi fazer o que minha consciência me daria ao fim da noite. Eu lamentei a mentira daquele rapaz que feriu antes de tudo sua própria integridade. O mundo não age sozinho, existem sim os acasos, mas ele sempre vai depender de você, da sua escolha. Assumir nossas culpas, rever nossas atitudes, nos redimir é um passo difícil de dar, tem de se ter mais cuidado, principalmente quando existem mais pessoas e sentimentos envolvidos. Somos responsáveis pelo que fazemos, já chega de dizer que não temos culpa de nada, essa é a forma mais abstrata de tentar enganar a consciência que grita e pede mais e que sabe que poderíamos ter feito diferente. Assumir nossas culpas é próprio de quem quer melhorar, ignorá-las é querer colocar tarja preta.
(J.L.)



Te percebo ó Pai, sei que hoje ao acordar já chamavas por mim, talvez não tenha te dado muita atenção, mas meu coração neste momento sabe que Tu tens sentido minha falta.

E arrependida peço-te perdão por ter deixado de ti falar, meu Amigo Fiel, os segredos que agora findam em minha alma. Sei que Tu já os conhece mas de certa forma não tenho deixado adentrar em mim nem eu em ti.

Hoje sinto fortemente, diferentemente, tua presença preencher meus pensamentos e lembro-me de tudo que já passamos, de todas as lágrimas que já enxugastes de minha face, de todas as alegrias que tivemos e das tantas vezes que eu pensando em desistir escutava tua voz a cantar dizendo para não temer e que estavas sempre comigo.

E olhando a minha volta e mais este dia que me deste, sei que minha maior prece deve ser de agradecimento.

Agradeço-te de todo meu coração e de toda a minha alma por estar sempre comigo até mesmo na hora que te abandono, sou limitada Pai e muitas vezes não sei por onde ir e me perco. Perdoa-me por meu egoísmo que acha poder fazer algo sozinha, se estou ainda aqui e agora é por graça Tua somente, por algum motivo me queres. Perdoa-me pelas vezes que não consigo te reconhecer, pelas murmurações e por tantas interrogações. Acaso sei bem que criastes o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há e sendo eu produto de tua criação quero louvar-te e bendizer-te, ainda que não encontre palavras e por vezes nem saiba como fazer, sei que criaste-me de forma única, a tua imagem e semelhança.

Dou-te glórias meu Pai, meu Papai, e peço que teu Espírito Santo repouse sobre mim, para me dar a conhecer o que é bom e agradável a Ti, para que eu permaneça em Teus caminhos, proclamando Tuas maravilhas, para que nada em mim possa te negar e minha boca sempre exclamar: Tu és Meu Deus e eu confio em vós.

(J.L.)



As ondas do mar conseguem me entender
Elas vêm ao meu encontro
Sabem que não posso ir até elas
Por isso levam minhas lágrimas.

(J.L.)



Uma voz...
Um sonho...
Um amor...
Um adeus...

(J.L.)


Só quando sentires o que sinto
Entenderás como sou
E como sinto!

(J.L.)


Hoje estou assim

Calma, sozinha

Pensando em mim

Meu coração está pequeno

Distante, sereno

Há algo queimando , ardendo

Na sei se foi amor ou passa-tempo

Uma brincadeira

Uma troca de olhar

Será que isso levou-me a te amar?

Construí um muro ao redor de mim

Para afastar esse sentimento

Que sempre trás um pouco de sofrimento

Um sentimento

Finalmente um sentimento que me faz parar e pensar

Que nunca serei feliz no amor

Se não amar.

(J.L.)



Aquele menino não aprendeu a sonhar

Não aprendeu a viver

Ele só quis saber de cantar

E da vida ele não sabe esperar

Ele fala de tempo

E o tempo não sabe brincar

Menino, menino, que ainda se deixa enganar

No esconde-esconde ele não quer saber de contar

Aquele menino dotado de inteligência

Que algumas horas se deixa levar

Pelos doces que amargam quando ele começa a provar

E que como homem pensa saber suportar

Ele que tanto quis amar

Não sabe se entregar

Quer mais a atenção chamar

Acha que cresceu e pensa que sabe ensinar

Aquele menino por dentro se fez chorar

Por fora se faz orquestrar

Canta, recanta e nada consegue sustentar

Sem estrutura não se consegue soar

Ele que de tanto buscar

Não sabe o que procurar

Aquele menino era só um menino

Ainda em passos do primeiro caminhar.

(J.L.)

Acróstico feito pela Poetisa e Amiga Vania Xavier.
Detalhe, acabou de fazer online rsrs
Obrigada!





Já era tempo de mudanças
E o mundo sofria sem
A tua nobre presença, porem de
Nada vale temer por temer no
Imenso mundo humano e terreno.
A tua presença Senhor nos alimenta na
Luta por novos tempos
Imagino Deus, como será a
Magestosa e limpida visão da
Aurora de nossa vida contigo...

(Vania Xavier)




O meu amor por ti aqui não será eterno
Pois sei que não viverei para sempre
Não será gratifiante
Pois não te beijo
Não te acalento
Apenas fico em um inexplicável tormento

O meu amor por ti é como o vento
Que percorre o mundo inteiro
Às vezes devasta a vegetação
Vai e volta
Frio ou sedento
Nunca cairá no esquecimento
Chega ocupando seu espaço suavimente.

(J.L.)


Ah distância , por que me deixa nessa insegurança?

Ah saudade, por que me deixa sem felicidade?

Ah solidão, por que não deixa meu coração?

É isso que tenho a distância

Amor sem esperança.

(J.L.)



Que bom seria se você pudesse me amar como te amo

Que bom seria poder sorrir sempre com você

Abraçar você

Sentir você

Que bom seria ter sempre você

E a cada amanhecer beijar apenas você.

(J.L.)



Truques do Tempo

Composição: Zé Geraldo / Aroldo Santarosa / Tavares Dias

Quem se liga nos truques do tempo
sabe o espaço entre a pressa e o prazer
entre o belo e o bem parecer
entre o ser e o que parece ser
Sabe ouvir na hora de calar
não diz B quando o tempo é de A
só quem sabe o tempo da colheita
é quem teve a manha de plantar
Não queira que eu deixe
de andar pelos portos
por vilas e becos
com loucos e tortos
enquanto eu não tenha
chorado os meus mortos.


Não lembro de muitas coisas da infância

Porém recordo com excelência de muitos ensinamentos

De meus avós, de meus pais, de meus mestres

Dos dizeres e ditados

Da catequese tão bem preparada

Quando logo acontecia problemas

E eu de longe observava

Pensava desde menina

Em como desfazer as laçadas

Assim dava ouvidos a todos querendo aprender

Ouvi grandes histórias, elas sempre me encantavam

Principalmente da vida de minha mãe

Tão sofrida e cheia de sonhos

Mulher batalhadora dirão aqueles que a escutarem

Soube fazer da vida uma vida

Aprendi com os amigos naquela terna idade

Foi com eles que aprendi sobre liberdade

Desde aquele tempo não exigia particularidades

Eu só queria ser amiga e que fossem amigos

Nunca quis pertences

Quem eu considerava minha melhor amiga

Não sei se tinha o mesmo sentimento

E mesmo assim era minha melhor amiga

Eu assim o sentia e recordo com a mesma intensidade

Amizades voltada pelo o que cada um tem em si

Enfim, foi daquelas bases

Que gerei meu alicerce

De menina , jovem, mulher

Ninguém usurpa princípios

Quem os aprende os põe em prática.

(J.L.)



Já não sei o que pensar

Já não sei o que falar

Tão pouco sei como agir...

O que eu faço talvez já não faça sentido

Quem sabe tudo foi perdido

E eu aqui com o coração doido

Eu lembro do primeiro encanto

Do meu temor de estar amando

Era tão seguro...

Tão seguro que eu quis ficar

Previa eu está dor?

O amor não foi a meu favor

Eu quis resistir

E teria sido bem melhor

Porque agora se afasta de mim

Sem explicação, sem norte, sem sul

Que tempestade infinda

Te transformou assim?

Não sei o que dói mais

Distância, rejeição ou aquela atenção

Oh Deus! Se é este ar culposo

Desencontro de idéias

Essa mistura de sentimento que empobrece

Que enfraquece, que me torna impotente

Já não tenho forças

Perdida, confusa

Totalmente...

Quero parar e gritar

Sem rumo

Gritar...

Para onde foi o sentimento?

Já não lhe faço falta

E quando não se faz falta

Já não existe o que buscar

E a liberdade devo dar

Nunca foi meu

Verdade seja dita

Quem limita o amor

Não avança

Fica inerte no seu limite

Não posso nem reclamar

Não devo! Pensas?!

Devo contentar-me

Não era para ser e se for voltará

Mas não espera: viva !

Vida onde está???

Foi sonho bonito

Porém não quero lembrar

E nenhum mais quero sonhar

Espera-me solidão

Espera-me...

Porque o amor

Não tenho mais que esperar

Passou... passou...

E ficou...

Só em mim ficou!


(J.L.)



Teus dias tem demorado fevereiro
Teus dias tem me custado mais que outros
Vai-te e que me venham mais dias iguais
De março a dezembro eles me esperam
Mas fevereiro não mais te quero
Com dias iguais, que ao menos mude o mês...

(J.L.)


O peito aperta

Não há como descrever

Falta-me a respiração

E a visão fica turva

As mãos tremulas

Lágrimas escorrendo

Frio no estomago

E todo o corpo quente

Muito quente...

Está doendo

Ferida intrínseca

Angústia que começa

De dor que não se pode gritar.

(J.L.)




As vezes não sei o que quero

Mas preciso determinar

E para isso preciso saber o que não quero

E todos sempre sabem o que não querem

Até os menos preocupados com a vida

Até mesmo eles sabem o que não querem


Eu não quero uma vida de erros

Nem de mentiras

Eu não quero amizades momentâneas

Nem um amor passageiro

Eu não quero a estúpida cegueira criada

Nem que a esperança seja esquecida

Eu não quero todo o conhecimento

Para que isso não me torne prepotente

Eu não quero todas as certezas, também prefiro as dúvidas

Elas me ajudarão em novas descobertas

Eu não quero a fraqueza

Porque não quero uma vida de derrotas

Mas também não quero só ganhar

Porque as perdas nos ensinam a ser mais fortes

Eu não quero reconhecimentos nem grande méritos

O que não quero é que me falte força para trabalhar

Não quero grandes riquezas

Mas o suficiente para não me esquecer dos irmãos

Eu não quero mordomias

Prefiro as lutas, as batalhas da vida

De nada me valerá se eu só pensar em regalias

Eu não quero chegar ao fim de forma infeliz

Se só se leva da vida a vida que se leva

Quero levar o que fui capaz de construir:

VIDA!

(J.L.)




As circunstâncias entre as quais você vive determinam sua reputação.
A verdade em que você acredita determina seu caráter.
A reputação é o que acham que você é.
O caráter é o que você realmente é...
A reputação é o que você tem quando chega a uma comunidade nova.
O caráter é o que você tem quando vai embora...
A reputação é feita em um momento.
O caráter é construído em uma vida inteira...
A reputação torna você rico ou pobre.
O caráter torna você feliz ou infeliz...
A reputação é o que os homens dizem de você junto à sua sepultura.
O caráter é o que os anjos dizem de você diante de Deus.

( Arnaldo Jabor )


Diante de Ti Senhor, sou compositora de minha vida

Salmodio as melodias do meu coração

Tal qual minhas necessidades e oração.

Diante de Ti Senhor, sou quem sou

Humana, limitada e de desejos profundos

Consciente de meus atos e querendo fazer valer minha razão

Fizeste-me mulher, dotada de sentimentos

Nem sempre consigo fazer o certo

Porém não me falta o desejo de acertar

Não quero me perder dentro de mim mesma

Não quero fazer outros errarem

Que não me pintem de boa cristã

Estou no caminho apenas e não quero me afastar

Se muito longe dele eu ficar

Envia teus anjos para me resgatar

Se o deserto eu atravessar

Que teu Espírito venha me guiar

E quando enfim as tentações quiserem me cegar

Ah meu Deus

Diante de Ti eu quero me prostar.


(J.L.)

E disse Jesus: "Adorarás ao Senhor Teu Deus e só a Ele servirás." (Mateus 4, 10)


Disseste que poderia voltar

Que o que tiver de acontecer acontecerá

Que se descobrisse que ainda amava

Iria voltar

Disseste , disseste...

Por quantas vez disseste?

E quantas vezes voltaste atrás?

É mais fácil dizer que o tempo resolve algo

O tempo nada faz

Quem escolhe não é ele

O tempo que ousou invocar

É o mesmo que usas para determinar

Só caminha a frente quem quer seguir

Só volta atrás quem sabe que precisa retornar

Quem não tem força para isso

Estaciona na ilusão do “deixa a vida me levar”

Existe o querer e o buscar

Não basta apenas sonhar

A realidade é onde está seu coração

Se ignoras, fica preso, retido na imaginação.

(J.L.)



Hoje senti uma velha saudade...

Saudade de você eu senti!

Saudade de um amor que nem eu mesma sei se era amor

Mas uma saudade do tempo que eu achava que te amava .

Saudade do cheiro do seu perfume

Saudade do seu olhar

Saudade da sua voz tão suave a me chamar

Ah, saudade!!

Hoje voltei a lembranças antigas

A coisas perdidas

Ao amor não vivido

A sonhos reprimidos...

Tantos momentos em mim ficaram marcados

Sempre serão lembrados

Apesar do pesares

Continuamos amigos

Quem sabe, ainda apaixonados!?!

Só sei que hoje senti uma velha saudade...

(J.L.)




Tu que sabes o que passa

No meu coração

Tu que vês além de mim

Todo o meu viver

Tu que andas comigo seja onde for

Tu que declaras incessante todo o seu amor

Eu vim te encontrar

Mas não sei o que falar

Sou uma jovem a procura do teu olhar

Eu quero te adorar

Sou tão pequena

Mas meu coração necessita mais de Ti.

( J.L.)


* Em Adoração Deus nos dá canção!




Numa manhã, foi assim que aconteceu

Apareceu misterioso em minha praia

De forma enigmática

Aguçando meus pensamentos

Trepidando minhas emoções

Vinha de longe, de outro continente

Em mim veio atracar

Sua ancora fincou meu mar

Desbravando-me sem trucidar

Um dia se foi e minhas águas ao porto o esperou

Olhava o horizonte e nada via

Chorei grandes perdas, porque o mar também chora

Talvez eu não soubesse cuidar de nada

Desconheci quem conhecia

O mar também não conhece a si por completo

Ora revolto, ora brando, ora perdido na sua própria imensidão

A esperar por seus navegantes

Sem alarde ele surgiu, voltou...

Vislumbrante e destemido como outrora

Veio de Portugal em busca de relíquias

Desponta no Brasil para uma pausa

Eu sei de onde ele vem

Não sei para onde vai, o vento é que enche suas velas

Sou o mar que incentiva o sonhar

Seu mistério no mistério do meu mar

Vamos navegar...

(J.L.)



" De que vale o homem ganhar o mundo inteiro e vir a perder a vida eterna. "


Que te acontece coração insano

Distante de ti mesmo

Distante de Deus

Esqueceu-se de como amar

Que te acontece coração doente

Ferido, calejado

Retraído e cansado

Subordinado a tua dor

Que te acontece coração pulsante

Antes de amor e agora de rancor

Tomado pela ira

Impregnado de desamor

Que te acontece coração errante

Nas andanças do medo

No labirinto das dúvidas

Nos córregos da clausura

Que te acontece coração?

Que te acontece?

(J.L.)



O tempo não me tem sido bondoso

Não sei cuidar de minhas feridas

Estão todas abertas, expostas

Sujeitas as bactérias das mágoas

Não, não se esquece grandes machucados

E mesmo que sarem ficam as cicatrizes

Que nos remetem a lembranças

A uma dor ditada pela alma

Para estas feridas não existe remédio

Engana-se quem pensa que volta a ser como antes

O ferido é que fica marcado

É quem derrama as lágrimas.

(J.L.)



Quando penso no mundo que se desvanece e morre pela falta de Cristo;
Quando penso no caos profundo em que se despenca a inquieta e cega humanidade pela falta de Cristo;
Quando me encontro com a força da juventude apática e destroçada na própria primavera da vida pela falta de Cristo, não posso sufocar as queixas do meu coração.
Quisera multiplicar-me, dividir-me, para escrever, pregar, ensinar Cristo.
E do espírito mesmo, do meu espírito brota contundente e único grito:
Minha vida por Cristo!

( João Paulo II )


Que me há dentro da alma

Que não consigo decifrar

Há momentos que são tão difíceis respirar

Há um cansaço que me abate

Uma tristeza que me povoa

Calada choro

Ninguém vê

Ninguém sente

Quem se importa?

Quantos mais de mim existem por ai

Machucados pelo desrespeito

Feridos por quem aprendemos a amar

Abandonados por atos premeditados

Jogados ao vento sem piedade

É difícil aceitar este mundo

Onde pessoas são tidas como objetos descartáveis

Acreditar em sentimentos é banalidade

Muitos preferem não tê-los

Bom é viver o “momento”

Sem esperar futuro ou comprometimento

Por eu não pensar assim, não ser assim

Pago este preço

É por isso que não esqueço

Quem se entrega busca profundidade

Quem não se entrega troca por vaidade

Eu não sou cega, nem surda

E não me finjo ser assim

Tenho coração, tenho razão

Sou dotada de sentimentos

Estes que muitos não levam mais em consideração

Por isso choro minhas perdas

Por isso dói meu coração

Sou humana e diferente dos outro animais

Vejo, ouço, olho

Penso... Sinto...


(J.L.)



Ah noites torturantes!

Que dias insignificantes!

Como dói!

Dói...


(J.L.)



Águas caindo do céu

Escorrendo pelas ruas

Descem seguindo algum rumo

Chuva forte que esfria a terra

E que eleva meu pensamento

Na imensidão do inerente

Retomo tantas lembranças

Que causam-me estigmas na alma

Escorrendo líquidos que não se vê

Olho as ruas e sinto o cheiro

Terra molhada pelos efeitos

Nuvens que choram sem contendas

Quem me vê no meio dela

Pensa brincadeira ser

E como nuvem choro e ninguém vê

Leva chuva, leva...

As lágrimas externa escorrem ao chão

Enxágua o ser e esfria o coração.

(J.L.)



Esse tempo que nos escraviza nas lembranças...
Quão vasto é o que esperamos dele...
Tempo que nos emudece realmente...
Diante da criança que fomos...
Permita que nos encontremos!

(J.L.)


*Depois de ler um texto no blog do Antonio Marcos.



Não entendo de metrificação

Minhas rimas são pobres

Coisas que saem do coração

Não me preocupo com nada

Escrevo sem proporções

Deixo no papel muitas emoções

Minha mente é atrevida

Não sossega, me inquieta

À noite me é inspiração

Madrugada a dentro em colisão

Exponho meu ser

Minhas mais intimas sensações

Pobres são elas

Longe de mim ascender tal vocação

Sou poetiza menor sem comparações

Não faço contos inventados

Minhas poesias são parte de mim

Pedaços de mim expostos na arte de viver.

(J.L.)





Um tempo para mim

Foi isso o que ouvi

Um tempo para ficar sozinho

Um tempo para rever seus erros

Um tempo para consertá-los

Proclamou-te errado para consertar-te

Foi isso que disseste!

Eu acreditei.

Que mais poderia eu fazer?

Já que julgava-me incapaz de compreender isso?

E o que tem feito desde aquele dia?

Se um tempo para ti era o que querias?

O teu tempo virou meu tempo

O que deste-me foi um tempo para mim e de mim

Voltei ao meu tempo

O que só existe eu e mais ninguém

Eu pensei que nunca mais voltaria a isso

Assim me fizeste pensar

Eu era e tu eras o mesmo tempo que queríamos amar

Voltaste a tua vida acompanhado

E eu a minha, sozinha.

(J.L.)



Alinhar ao centro


Sinto Deus quando o busco

Quando mesmo sem querer me ponho a orar;

Sinto Deus quando não quero rezar

Quando me pedem oração sendo que eu que estou a precisar;

Sinto Deus quando me vem os amigos verdadeiros

Quando me falam da esperança que Cristo veio renovar;

Sinto Deus quando me vem os desconhecidos

Quando me olham e sinto Deus no seu falar;

Sinto Deus quando maus sentimentos me tomam

Quando caio em mim e lembro de quem sou;

Sinto Deus quando medito sua palavra

Quando nenhuma outra literatura preenche meu ser;

Sinto Deus quando sinto falta Dele

Quando faço tudo errado e Ele não deixa de me amar;

Sinto Deus apenas

Aqui e em todo lugar!

(J.L.)



E o tempo é tão doloroso

E o silencio me faz companhia

E o coração muito rancoroso

E as lágrimas como em uma maresia

Tudo isso por causa da distância

Tudo isso porque te espero

E a tristeza cai lentamente

E a esperança vai morrendo

E o sorriso fugindo levemente

E saudade vai nascendo

Tudo isso por causa da distância

Tudo isso porque te espero

E a verdade , esta é tão dura

E o mundo cheio de amargura

E o meu sentimento uma tortura

E a minha vida uma censura

Tudo isso por causa da distância

Tudo isso porque te espero

Tudo isso porque te amo.

(J.L)



Um dia acreditamos

Noutro desacreditamos

Um dia esperamos

Noutro desesperamos

Um dia nos alegramos

Noutro choramos

Algum dia se mudar

O homem aprendeu a transformar.

(J.L.)



Louvado seja Deus por nossa irmã Terra

Criada no principio

Terra, sobre ti ergueu-se as nações

Sobre ti caminhamos

Para onde? Ninguém ainda conseguiu responder

Mas acredita-se, este chão é nossa jornada

Passar por ti é ter esperança

Do infinito, do eterno que ainda não vimos

E que com fé esperamos

Terra, chão do caminhar.

Louvado seja Deus por nossa irmã Água

Das nascente flui vida

Pela palavra do Criador

Faça-se! E o mar se formou

Água que purifica

Sobre Ti repousa o Espírito do Senhor

Compões todo ser humano

E assim também podemos dizer

Repousas em nós

Vem nos fortalecer

Água, vida que faz crescer.


Louvado seja Deus por nosso irmão Fogo

Descoberto pelos primeiros homens

De raios te guardavam

E aprenderam a ti produzir

Tem força avassaladora

Queima, inflama, clareia

Assim também definem o Amor

Coração cheio de chamas

Sabe o que fazer

Fogo, é luz na escuridão do nosso ser.


Louvado seja Deus por nosso irmão Ar

Inspire, expire

Com ele pode-se provar

O sopro de vida doado

Do amor, do amar

Há quem encontre razões

Outros respiram por respirar

Saiba tu, não deixa a vida passar

Ar, tão logo te faz sonhar.


Louvado seja Deus por tamanha perfeição

Criar a humanidade com tanta dedicação

Caminha pois homem, enche teus pulmões

Bravamente luta pela vida, por vidas

Lava tua alma

Teu coração é chama

Teu sangue corre nas veias

Deus tudo formou

Homem, imagem e semelhança do próprio autor.


Criaturas do Amor somos assim

Na incansável busca do eu em mim

E mesmo sem entender

Louvores a Deus sem fim.

(J.L.)




Paz para mim eu preciso pedir

Paz para meu irmão


Para o egoísta e para o altruísta

Para o inquieto e para o calmo

Para o incompreendido e para o compreensivo

Para o aprendiz e para o mestre


Paz para mim eu preciso pedir

Paz para meu irmão


Para o orgulhoso e para o bondoso

Para o pequeno e para o grande

Para o infeliz e para o feliz

Para o tristonho e para o contente


Paz para mim eu preciso pedir

Paz para meu irmão


Para o pobre e para o rico

Para o enfermo e para o são

Para o desiludido e para o esperançoso

Para o perdedor e para o vitorioso


Paz para mim eu preciso pedir

Paz para o meu irmão

Sem distinção.

(J.L.)



Até quando vou te amar?

Fico a sempre a me perguntar

E nenhuma resposta consigo encontrar

Simplesmente amo-te e não me canso de esperar

Sonho...

Ganho asas...

E chego a voar!

A imaginar...

O dia em que tudo vai se realizar

Fecho os olhos e sinto o coração pulsar

Sempre dizendo te amo

Sempre estarei a ti esperar.

(J.L.)