Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!








Quando eu lembro daquela amizade eu sinto saudade. Sim, porque era tão bonita, cheia de cumplicidade, de humor e muita partilha. Sei que algumas vezes na vida perdemos, mas eu ainda não entendo, ou entendo, porque algo se defaz ou não se refaz por ser tão forte.

Entendo todos os motivos e as razões porque nos afastamos. Eu tentei, eu busquei, mas havia se fechado para mim e sei da tristeza que povoou aquele coração e mais ainda o meu.Talvez eu tenha sido fraca, incompetente ou insensível, porque no querer respeitar a individualidade eu esperei e no esperar, eu perdi. E tudo foi ficando distante...

Eu não digo que morreu, porque quando a lembrança me toma é sempre assim, lembrando dos bons momentos, dos risos... e a saudade nasce como se aquela amizade morasse longe. Da minha parte, não houve o fim da amizade, ela vive ainda em mim, não houve o esquecimento. Ainda lembro da sua data de aniversário, mas infelizmente não posso mais abraçá-lo, enviar uma mensagem, dar-lhe uma lembrança ou um cartão, então faço uma oração...

De vez em quando, quando dói, e dói nossa renuncia de nós, eu penso que meu amigo está feliz e que se teve que ser assim, para que um encontrasse a felicidade já bastou. Quando o olho de longe eu sempre deixo ir, porque talvez, a parte que nos coube deixou o que cada um fez, bem lá, no dia que tudo se desfez e bem cá, na memória e no coração que nunca se desfaz.

( J.L.)







É assim, tem gente que só gosta da sombra, do fácil, da moleza. Gente que se aproveita da bondade e dos sentimentos dos outros, que usam e abusam até o pote secar. Infelizmente, a preguiça, a falta de objetivo, a inconstancia é o que reina. Uma boa sombra pra se encostar, uma vaca que dê leite, estes e outros ditados , enfim, pertencem a vida dos "vidas mansas".

Devo dizer que gosto de sol, da lida, não tenho medo do arado, não nasci pra alimentar bezerrinho ou pra ser fonte de renda para alguém, meu leite é meu suor e meu suor não é despercídio, meu suor é minha luta.

É por isso que digo sempre, não negue ajuda para quem quer crescer, mas não leve nas costa, o máximo que pode fazer é caminhar ao lado. Não tem amor que resista a um sobrepeso. Quem sabe amar não tira proveito, mas sabe extrair o companheirismo para que juntos consigam a realização de ambos. Quem quer estar ao teu lado, vai estar ao teu lado e batalhar junto contigo, quem é oportunista é egoísta.

( J.L.)







Aprendiz da Vida

Queria poder dizer que estou numa idade onde aprendi a viver. Mas não cheguei ainda a esse ponto. Aprendi algumas coisas, sim, outras trazem uma luta enorme dentro de mim, e não sei quantas quedas e quantos levantares serão necessárias para que eu aprenda. Mas não desisto!
 
Parece que estou na idade da razão, mas percebo que não existe idade para isso. Nem sempre tenho razão. Nem sempre sei o que fazer. Sou e serei até o último minuto um aprendiz da vida.

Dizem que perdoar é esquecer e eu não sei ainda onde encontrar essa borracha que apaga vivências doloridas ou curativos que cubram feridas que nunca se fecham. No meu ver, perdoar é compreender, aceitar e seguir adiante. É poder olhar nos olhos daquela pessoa novamente, e se precisar dar a mão sem sentimento de sacrifício. Raras são as pessoas que alcançam o dom do perdão, mas não é impossível.

Quando pensamos que sabemos tudo porque vivemos um certo número de anos, temos que admitir que vivemos em outra época, com outros valores e que nossa certeza de antes nem sempre cabem nos dias de hoje. Nossos filhos nos lembram disso a cada instante, são eles nossos melhores mestres, ao contrário do que se pensa.

Em tudo que fizemos ou dizemos nosso exemplo vale mais do que todas as palavras. As crianças ouvem muito mais que parecemos que o que dizemos. É assim também com os que precisam do nosso apoio. Cada um de nós absorve acontecimentos de maneira diferente, acontecimentos comuns a todos, e somos incomparáveis.

Por que não vivi algo de um jeito não obrigo ninguém a viver da mesma forma. Aprender a respeitar a dor alheia, é respeitar a individualidade do ser humano. O medo do sofrimento do amor nos afasta das pessoas que mais nos amam.

Muito do que chamamos de imprevisto e coincidência, é a mão de Deus interferindo nas nossas vidas. Nas nossas vidas devemos pensar então duas vezes, antes de reagir mal a algo que contraria nossos planos. O passar do tempo nos traz a experiência, mas a sabedoria. Vem de maneira diferente. Ela chega com a vivência, entendimento, compreensão e aceitação das adversidades.

Meu maior medo é de acreditar sobre o que dizem a meu respeito, isso me destruiria. Devo sempre saber quem sou e nunca me esquecer daquele que me criou. Aprender a vida é reconhecer-se aluno eterno, com as somas, diminuições e ciências do dia –a –dia. É chegar ao fim do dia e fazer planos para o dia seguinte e se preciso for, recalcular, rever, repensar e recomeçar.


( Letícia Thompson )




Deixe-me aqui
Com meus pensamentos furtivos
E com minhas lágrimas frouxas

Deixe-me aqui
Com minhas indignações, perrices
E com minhas decepções cortantes

Deixe-me aqui
Bem aqui sem ti
Sem tuas mentiras
Sem teus fingimentos

Deixe-ne aqui
Para eu me descobrir
E entender que ali, bem ali
Não tem lugar pra mim.

( J.L. )


“É claro que as pessoas nos enganam
Mas daí a querer enganar-se
É a pior das enganações.”

(J.L.)


Não há como não dizer


Que as flores mirraram

Que o sorriso se esvaiu

Que os sonhos se desfizeram



Quando não se sabe amar

Maltrata-se quem ama

E a beleza enfeia-se

E o bom se torna ruim



Quando se acaba o sentimento

E se mata os momentos

E se esquece das promessas

Engana-se por quimeras



Não há como não dizer

Que aqui neste meu ser

Foi preciso sufocar tal amor

Que nele mesmo desacreditou.



(J.L.)