Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





Naquela praia eu ancorei meu barco

Exausta de toda a viagem

Pareceu-me bom descansar ali

Tu me vinhas perfeito

Apresentando-me toda beleza

Da ilha exposta, dizia

Eu navegante inexperiente

Encantada com as formas

Nas palavras me agarrei

Veio a revolta das marés

Que não me incomodavam

Eu já estava decidida

Amar-te , amar-te

Era o que eu queria

Não importava ventania

Lutei bravamente

Lutei todos os dias

Lutei sozinha

Eu queria permanecer ali

Tive de voltar ao mar

Depois de tanto me enganar.


(J.L.)



Passem as horas neste relógio
Que já não me aguento de saudade
De ouvir tua voz
De sentir teu abraço

E ouvir teus risos simples
E tocar tua nuca
Beijar-te apaixonadamente
Deixando meu coração falar

Que tanto te ama
Que ama te amar
Que é tão bom contigo está

Passem as horas neste relógio
Que eu quero te encontrar
Para te amar.

(J.L.)



Na triste chegada da noite
Que me aperta as lembranças
Dos sonhos desfeitos
Das esperanças perdidas


Vejo um eu calado
Na solidão
Ainda sem muito entendimento
E cheio de interrogações


Entregue ao tempo
De dias e mais dias
De noites em claro


Coberta apenas pela tristeza
Do vazio que agora habita
No peito partido.


(J.L.)



"Deixa meu coração chorar
Deixa ele se esvaziar
E se por acaso cansar
Deixa ele morrer de amar."

(J.L.)




São essas coisas loucas que acontecem
Quando você não consegue esconder
Quem você é e quem deixou de ser
Para tentar explicar e outro compreender

Tudo vai mudando
E hoje já não sou o que fui ontem
E muitos insistem no passado
Enquanto que eu já avancei mais um passo

Na direção do infinito eu vou
E para quem é meu amigo
Não está obrigado a concordar comigo

Há algo que eu desejo e vou encontrar
Más lembranças ficarão pra trás
Eu quero mais sem tanto faz.


(J.L.)


Atrás da porta
Guardo os meus sapatos
Na gaveta do armário
Coloco minhas roupas
Na estante da sala
Vejo muitos livros
E a geladeira conserva o sabor das refeições
Minha casa é meu reino

Mas eu preciso de outros sapatos
De outras roupas, outros temperos
Para formar minhas ideias e meus sentimentos
Eu sou a soma de tudo que vejo
E minha casa é um espelho
Onde a noite eu me deito e sonho com as coisas mais loucas
Sem saber porque

É porque trago tudo de fora
Violência , dúvida, dinheiro e fé
Trago a imagem de todas as ruas por onde passo
E de alguém que nem sei quem é
E que provavelmente eu não vou mais ver
Mas mesmo assim ela sorriu para mim
Ela sorriu e ficou na minha casa que é meu reino

É porque trago tudo de fora
E minha casa é um espelho
Trago a imagem de todas as ruas
Eu sou a soma de tudo que vejo
Mas mesmo assim, ela sorriu pra mim
Ela sorriu e ficou na minha casa que é meu reino


ÍTACA

Konstantinos Kaváfis
(Trad. José Paulo Paes)

Se partires um dia rumo a Ítaca,
faz votos de que o caminho seja longo,
repleto de aventuras, repleto de saber.
Nem Lestrigões nem os Ciclopes
nem o colérico Posídon te intimidem;
eles no teu caminho jamais encontrará
se altivo for teu pensamento, se sutil
emoção teu corpo e teu espírito tocar.
Nem Lestrigões nem os Ciclopes
nem o bravio Posídon hás de ver,
se tu mesmo não os levares dentro da alma,
se tua alma não os puser diante de ti.

Faz votos de que o caminho seja longo.
Numerosas serão as manhãs de verão
nas quais, com que prazer, com que alegria,
tu hás de entrar pela primeira vez um porto
para correr as lojas dos fenícios
e belas mercancias adquirir:
madrepérolas, corais, âmbares, ébanos,
e perfumes sensuais de toda a espécie,
quanto houver de aromas deleitosos.
A muitas cidades do Egito peregrina
para aprender, para aprender dos doutos.

Tem todo o tempo Ítaca na mente.
Estás predestinado a ali chegar.
Mas não apresses a viagem nunca.
Melhor muitos anos levares de jornada
e fundeares na ilha velho enfim,
rico de quanto ganhaste no caminho,
sem esperar riquezas que Ítaca te desse.
Uma bela viagem deu-te Ítaca.
Sem ela não te ponhas a caminho.
Mais do que isso não lhe cumpre dar-te.

Ítaca não te iludiu, se a achas pobre.
Tu te tornaste sábio, um homem de experiência,
e agora sabes o que significam Ítacas.




Meus pensamentos em noites me atormentam

Eu vejo , eu falo , eu sinto e eu escrevo

Não entendo das formas

Tento entender a vida

Tento escrever a vida

A minha vida!

O reflexo de tudo o que se faz por aqui

Que me vejam

Que me interpretem

Que me julguem

Estou sujeita a isso

Complexidades mútuas.


(J.L.)





Cá estou eu no limite da curva
Querendo não mais olhar atrás
Esquecer o que ficou e fazer diferente
É preciso mais de mim aqui

Existe um caminho e minha vida
E outras vidas buscando crescer
Às vezes é preciso deixar alguns sonhos
Para muito então reaprender

Pode-se parar por alguns instantes
Lamentar as perdas e até chorar
Mas ainda existe um caminho
Que a vida quer me mostrar.


(J.L.)



Senhor, hoje quero muito falar. Falar de mim, de tudo que tem me sufocado e me tirado o sono e a paz. Das coisas do meu coração. Da minha vida e queixas e esperanças.

Falar de mim pode parecer insatisfação, pode parecer um monte de coisas ruins porque sabendo como eu sou vou acabar nos mesmos porquês de sempre. Falando e falando, chorando e tentando compreender... O que faço por aqui e o que mais preciso fazer...

Tem dias Senhor que me sinto tão perdida e caio naquelas intensas lágrimas de um coração amargurado e triste. Sou uma filha em busca de Tua mão e é quando sinto Tua presença que aos poucos me consola e Teu silêncio me abraça, mesmo querendo Teus sermões, que sinto quão grande é Vosso amor.
Tua voz ecoa perto e eu escuto longe, nem sempre te deixo falar. Meus ouvidos muitas vezes estão mais abertos para mim que para Ti e eu me afasto do que sou e do que tenho.
Não quero te perder, nem perder minha fé, tudo pode me faltar menos o teu amor porque se perco a Razão de tudo não haverá mais o que esperar e o que espero meu Senhor, é te encontrar no inicio e ao fim de cada olhar.
Mesmo cansada, magoada quero aprender sobre o amor doador, sobre a humildade verdadeira que tanto ensinou. Ah Senhor, como quero aprender...
Eu sempre falo muito de mim e se falo é porque sei que escuta e entende, quando muitos me criticam ou tomam minhas palavras de forma errada, Tu, compreende antes que eu fale...
Falar é uma grande necessidade que tenho. Nunca tive medo de expressar o que sinto, às vezes tenho medo de não saber o que dizer, às vezes nem sei mesmo me expressar, não é porque gosto de falar que eu saiba sempre como me expressar, mas sei que entendes...
Hoje Senhor, eu quero mesmo sobre mim o Teu olhar, especialmente Teu olhar, que nunca se desviou, mas que por vezes não sei encarar.
Venho te falar, te olhar, te adorar Senhor!
(J.L.)




E essa vida que tento decifrar

Por entre sonhos e obstáculos

Por entre noites e dias a clarear

Vida que tento amar

Que por vezes me faz chorar

E simplesmente me deixa solta

Vai e vem o que me vem

E seu mistério é seguir

O que se tem, o que se espera

Do muito que tento aprender

Feliz ou não por ela tenho de passar

Por ela tudo vai passando

E eu pensando em ter

Esta vida que tento viver.


(J.L.)




Não me disse adeus

E foi embora

Aquelas palavras ficaram em mim

Sim...

Foi eu que disse adeus

Porque eu sabia que era o fim.


(J.L)




Estou certa de que quero subir a colina

Independe do que possa encontrar

Sol e chuva posso enfrentar

Em busca do sol que mais perto está

Se há uma incerteza eu não quero lembrar

Nem alimentá-la

Eu quero é prosseguir

Firme nos sonhos que estou a perseguir

Do alto eu posso ver

Todos os vales que ainda irei passar

Esta colina me faz pensar

Das forças que ainda vou precisar

Vou me lançar neste abismo

Vou respirar este ar

Não, não é abismo a vida

É tudo que eu posso conquistar.


(J.L.)




Lançou-me um olhar

Deu-me um belo sorriso

Chamou-me para conversar

Abriu seu coração

Falou tudo que sentia

Esperando minha resposta

Olhar-te me parecia bonito

Acreditavas no que dizia

No amor que agora proferia

Ver teu riso me alegrava

Mostrava-me pureza

Enchia-me de esperança

Ouvir-te foi como música

Suave, tocante, envolvente

Simples e romântica

E toda essa magia foi desfeita

Num dia mudou

Tudo que ele sentia, acabou.


(J.L.)




Vai o dia

Vai a noite

E vem outro dia

E outra noite

Que também passarão

Apenas...


(J.L.)




Querido Deus gosto muito de você.
Gosto do papai, da mamãe...
Gosto dos meus irmãos e de todos os meus amigos.
Deus, obrigada pelos brinquedos
pela escola, pela flores
pelos bichinhos e por todas as coisas
boas e bonitas que você fez.
Quero que todas as crianças
conheçam e gostem muito de você.

Obrigada Deus, porque
Você é muito Bom.


* Ainda recordo-me quando mamãe me ensinou esta oração
Tem dias que ainda a rezo como naqueles tempos...


É difícil falar de decepção, porque até o escrever nos remete a uma lembrança triste, que magoa. Decepção não é coisa que fica no passado, pelo contrario, por vezes se renova, por vezes se sofre mais, por vezes se culpa mais ...

Um amigo me diz, que irei me decepcionar sempre, e é claro, isso eu sei, mas é bem verdade que nunca estamos preparados para ela, porque acreditamos no outro. Acreditar, confiar, pensar que estas qualidades nos leva ao “ tiro no escuro” é rotulá-las a mais mediocridade do ser. Por que afinal, confiar desconfiando é o que?

E é bem aqui que percebo-me, e não é o meu erro, isso posso dizer. Ou será que se erra por acreditar em alguém? Por confiar? Pois bem.

Lanço-me na amizade, no relacionamento, acredito , confio ... E mesmo tendo quebrado a cara tantas vezes ainda consigo me surpreender a cada nova decepção...
Confesso, eu não me preparo para viver pequenos momentos, para me divertir por um tempo, para curtir um “namoro” até quando passar a vontade, para ter uma amizade só de escola... Eu gosto da intensidade, do abraço forte, do olhar profundo, das palavras vivas, da luta árdua, do trabalho suado... E é verdade, eu não entendo quando quem antes dizia que também gostava de intensidade deixa o abraço afrouxar, o olhar distrair, as palavras se desfazerem, a luta sem travar, o trabalho por terminar...

Eu me decepciono, choro, sofro, mas ainda acredito, ainda mergulho com fôlego . E por causa desse meu acreditar ainda vou me decepcionar muitas vezes... Faço isso pelo o que eu sou e não porque a vida é assim, a vida quem vive é cada um de nós e as escolhas são sempre nossas, os que chegam pra participar da minha vida e se vão deixam-me marcas. Sou cheia de cicatrizes e muitos nem compreenderão porque ainda doem. Podem doer por eu me decepcionar, mas também dói por eu ainda acreditar.

(J.L.)


Eu não insisto diante das certezas alheias

Se é o rumo que deseja

Eu não insisto no que me faz acreditar

Se tua opinião é fácil de mudar

Eu não insisto na mendicância de carinho

Se já dedicas a outra

Eu não insisto no amor jurado

Se depois veio frustrado

Eu não insisto!

Não falhei contigo

Eu não insisto no que não reparte comigo.


(J.L.)





Eu não sei dizer adeus

Tudo está indo

E não sei mais o que falar

Se amei

Se gostei

Se admirei

Isso eu não sei mais falar

Estou deixando passar

E se nada quer ficar

Que se vá!

Que se vá...


(J.L.)





"Não há distância que separe o coração de seus sentimentos."

(J.L.)




Ele a olhava e não cansava de dizer

O quanto ela havia mudado

Mudou o olhar

Mudou o jeito de falar

O jeito de acreditar

Mudou aquele sorriso que dizia ser tão vivo

Mudou o cabelo

Por que mudou o cabelo?

Ele a interrogava

Mudou tanto

E tanto mudou

E a única resposta foi:

Nem amanhã serei mais o que hoje sou...


(J.L.)