Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





2 comentários:

Antonio Marcos disse...

"E neste caminho breve, que eu não seja indiferente aos meus irmãos. O povo tem fome de humanidade"

Querida Jeania, Shalom!
Nesses dias eu conversava com uma pessoa sobre a "acolhida aos outros", uma das mais importantes linguagens do Amor, se não, a maior dela. Nós somos essa "porta de entrada" para a existência dos outros. No entanto, nem sempre exercitamos isso de forma livre, sem ver a "cara", mas sei que todos nós temos passos significativos nessa virtude. Infelizmente nossa pressa cotidiana, nossos afazeres e "nosso mundinho" nos deixa despercebidos de o "caminho é breve". Aliás, acho que "os afazeres" não são os culpados, mas a nossa indiferença ao outro, o que fez com que muitos escritores da espiritualidade tenham dito que ela é um dos "cânceres" da modernidade, parceira do individualismo e do egoísmo. Portanto, é preciso que Deus seja a nossa primazia, porque - diz São João (minhas palavras) -, "se digo que amo a Deus e não amo meu irmão, na verdade, vivo uma mentira". A indiferença, seja ela em que âmbito esteja, é cruel porque é um desprezo do outro, é uma comunicação agressiva. Por isso é que a antropologia cristã, auxiliada por um "humanismo integral", ou seja, que leve em conta toda a pessoa, têm nos dito que "as pessoas têm fome de humanidade". Temos tanta tecnologia, tantas "parafernálias", mas falta o calor humano, o abraço, o sorriso, a gentileza, a convivência, a amizade, o cuidado com o outro, aquele "sentir o outro como parte de mim", como disse João Paulo II (Novo Milenium Ineunte. Sim, "o povo tem fome de humanidade", aquela humanidade que soube viver tão bem Madre Teresa de Calcutá. Cada dia peço a Deus que me ajude a sair de minhas indiferenças aos outros, aos que estão do meu lado, na minha casa, em qualquer lugar...peço a Deus que me ajude a "ser homem de Deus" e ser canal dessa humanidade a acomeçar dos detalhes, das coisas simples, mas que fazem a diferença. Afinal, disse Bento XVI: "Tudo passa! Só permanece aquilo que de bom construímos na vida das pessoas!" Um grande abraço, Jeania! Desculpe por tantas linhas nesse comentário, mas que "uma única frase" é capaz de esconder um "mistério" tão profundo. Que Nossa Senhora te guarde com a sua ternura intercessora.

Antonio Marcos

Jeania Lima disse...

Grata Antonio Marcos. Por enriquecer-me com sua partilha. A indiferença dói... Tenho também feito esta prece a Deus, que me ensine a cada dia ser mais humana e não me esquecer de quem está ao meu lado,pois minhas atitudes alcançam os que estão ao meu redor, então que elas sejam benéficas a eles e a mim... Façamos a diferença estendendo nossa mão, nosso sorriso em direção ao outro...Diz a letra de uma canção: " Que eu deixe só o bem que existe em mim..."(Pe. Fábio de Melo)