Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!






Para onde os ventos te levaram?
Para onde minhas águas te impulsionaram?
Não te vejo em nenhum porto
Não apontas agora no horizonte
Tão longe está...

E tenho águas que te esperam a beira da praia
Com a tranquilidade que sabe chegar
E tu prefere as tempestades
Prefere as revoltas de teu mar
É ai que te sentes bem

E se sente saudade em busca da calmaria vem
Sou todo teu e no alto de mim navegas
Sabe que pode voltar
E minhas águas infindas estarão lá
Eu mar, eu mar...

Em liberdade te possuo
Sob ti estou, sobre mim está
Eu do meu barco e tu de teu mar
Entre sonhos e anseios a singrar

Toda beleza que temos
E juntos podemos partilhar
Tu Barco e eu Mar
Nosso destino nos leva a amar
Os ventos que faz nos aproximar.

(J.L.)

1 comentários:

Artur disse...

Grande amiga Jeania, vc escreve como se tivesse apaixonada ... que coisa bonita.