Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!






MOTE

Não quero, o que vós quereis,
só quero, que vós queirais
aquilo, que não quereis,
só quero, não quero mais.




Se houvera conformidade

em um, e outro querer,

ambos poderiam ser
atos da mesma vontade:
porém na diversidade
de uma, e de outra vereis,
quando firme pergunteis,
onde minha alma está posta,
como tendes por resposta,
Não quero, o que vós quereis.

E se acaso se oferece
outro objeto a vosso amor,
e publicais por favor,
que em vós só o meu floresce:
esta ação nada merece,
mas antes me ofende mais,
e do prêmio, que buscais,
deponde a louca esperança
e não ter de mim lembrança
Só quero, que vós queirais.

Se nesta deformidade,
que em vossas vontades há,
algum meio indústria dá
para haver conformidade,
é, que na vossa vontade
mil impossíveis obreis,
porque amando não ameis,
sendo fino, o não sejais,
e não querendo queirais
Aquilo, que não quereis.


Se isto muito parecer
em uma vontade humana
isso mesmo desengana
os quilates do seu ser:
pouco amor, pouco querer
é força, que concedais,
pelo que não pertendais
as lisonjas do meu gosto,
porque, o que tenho proposto,
Só quero, não quero mais.


( Gregório de Matos )


0 comentários: