Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!






"Amo a liberdade, por isso deixo as coisas que amo livres. Se elas voltarem é porque as conquistei. Se não voltarem é porque nunca as possuí."



Desde muito nova levo isso comigo e se tem algo que eu preze é pela liberdade

Liberdade de se expressar

Liberdade de sentir

Liberdade de escolher

Liberdade de ser...

Procurei sempre construir meus relacionamentos assim, somos livres para fazermos nossas escolhas. Meus melhores amigos não são meus, todos eles tem o direito de terem outros melhores amigos que não seja eu e é por isso que não exijo nem ponho-os a prova.

Eu brinco, falo serio quando é preciso, digo o que penso da situação mas não exijo que sigam o que estou falando. Quando percebo as controvérsias, porque elas sempre existiram e me pedem para calar eu calo, e me pedem para mudar, eu mudo e se me pedem para me distanciar eu me distancio.

Se minha presença já atrapalha, se minhas ideias já atormentam não vejo o porquê de insistir. As vezes é preciso partir e naquela distancia aprender o sentido da liberdade.

Ninguém tem o direito de exigir que se goste ou não do outro. Eu já perdi muitos que considerava amigos e já ganhei amigos que considerava apenas conhecidos.

Muitos se foram sem nada dizer e eu chorei pela perda, outros se foram deixando feridas e nostalgia e choro até hoje porque a saudade anda de mãos dadas com essa liberdade que na lembrança por vezes fere e dói.

Mas não há nada melhor que saber que você permitiu que o outro pudesse escolher e que você soube perder, porque pior que isso, é a mendicância de um sentimento que você tem e outro não tem por você.


(J.L.)


0 comentários: