Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





Dizer que não me arrependo de nada seria mentir

Porque me arrependo sim, de muitas coisas

E claro, se acontecesse de novo eu não mais viveria ou escolheria tal situação.

Arrependo-me de não dar credito a quem me aconselhou, a quem viu mais que eu

De ter sido ingênua, talvez até boba em tantas situações

Eu só não me arrependo de minha sinceridade

Essa eu faço o tanto quanto puder, mas fingir ou camuflá-la não

Muito menos colocar culpas em outra pessoa pelos meus erros

Eu arrependo-me de errar mas não fico ali, parada no erro vestindo pose de certa

Se for pra baixar a cabeça eu baixo sem arrependimento ou orgulho

Porém não admito que me dêem erros que não são meus

Penso que o homem deve ter consciência dos atos mesmo sabendo que não está ileso de erros, mas errar e colocar culpa no outro pelo que ele não teve competência de assumir é de fato uma covardia. E para mim, o homem que se acovarda diante de decisões que dependem unicamente dele torna-se fracassado.

Eu posso ser fraca e errar. E posso escolher corrigir. Sempre posso escolher entre arrepender-me e tentar melhorar ou acovardar-me e seguir como se nada tivesse acontecido.

Muitos seguem... Sem arrependimentos...

A vida não é luta de vale tudo. A vida é o que te pergunta: O que fizeste de ti?


(J.L.)

0 comentários: