Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





Eu escutava aquele homem falar de sua esposa com tanto amor, com tanta admiração e respeito. Depois de tantos anos de casados é bem difícil escutar alguém que saiba elogiar seu parceiro.

Fiquei ali, apenas escutando aquela história e aquele drama que se dera em sua família a mais ou menos uns dois anos atrás, quando sua mulher descobriu que estava com CA.

Aquele homem, saiu do seu emprego, para se dedicar inteiramente a sua esposa, a qual ele chamava de minha deusa. Construiu uma família bonita, dois filhos nasceram desse amor. E seus olhos brilhavam mais ainda quando fala naquelas crianças.

Eu perguntei se diante daquela barra não pensou em deixá-la. Ele disse que jamais faria isso, que não conseguiria viver sem sua deusa, sem a mãe dos seus filhos. Disse-me ainda que quando a acompanhava nas sessões de quimioterapia, via muitas outras mulheres lá, sozinhas, abandonadas por seus maridos. E que olhando elas, sentia mais ainda a necessidade de estar bem mais próximo da sua.

Juntos venceram o câncer. Tiveram ajuda de muitos amigos, tanto material, quanto presencial. Depois ele voltou a trabalhar e a amar mais sua família e estão ai, seguindo a vida.

Mergulhei em infinitos pensamentos. E diante de muitas coisas que já ouvi e vi pude ver o quanto aquele amor é bonito. Nunca desacreditei de que existem pessoas que sabem ou aprenderam a amar de forma gratuita, diferente, única. O amor se doa até o fim.

Por causa dessa história e de muitas outras que já presenciei, gosto de falar e de escrever. Quero aprender com eles a fazer cada dia o Amor mais bonito. Sem mas, nem porém.


(J.L.)


1 comentários:

thalita luana disse...

Lindo Jeaniaa..Dificil encontrar homens assim no dia de hj! Vc faz sim a cada dia o amor mais bonito com esses seus textos e poesias...Adoro Vim aqui!! bjuss