Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





Este silêncio que me abraça

E me acolhe sem igual

Que recolhe minhas lágrimas

No leito desde seu início

Eu não quero mais tumultos

Nem risos extravagantes

Nem aglomerado de pessoas

Nem aparições

Este silêncio já me pertence

E não só as noites vêm visitar-me

Desde o amanhecer já sinto seu afago

Às vezes ele me doe

Mas não existem outras formas de reviver

Silenciar e depois morrer.


(J.L.)


0 comentários: