Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





Sim, difícil acreditar em certas coisas que nos falam e que até vivemos. Passamos um tempo ao lado de uma pessoa que demonstra ser tão compreensiva, amável, sincera, que faz de tudo por você, que não mede barreiras nem esforços para demonstrar seus sentimentos certos e convictos, que detém um saber conhecedor, uma fé viva e praticada para depois, não muito tempo depois, tudo isso se desfazer em uma obscura mudança de caráter, de gostos, de vontades e certezas.


E você se pergunta: Onde foi parar aquele ser? O que o fez mudar? Não é mais o mesmo. E a frieza que vem das palavras que destroem aquilo que ele mesmo construiu, sem nenhum pesar, ditando palavras contrarias a tudo que falou um dia. Sem receio algum as atitudes mostram a incoerência e hipocrisia, a crueldade e o desprezo que antes era chamado de amor.


Tudo bem que se possa não querer mais estar com o outro, mas daí a tratá-lo com mediocridade, menosprezo e indiferença isso mostra tamanha imaturidade de quem busca apenas prazeres momentâneos . Principalmente quando se sabe que as atitudes tomadas a base de mentiras nunca serão coerentes com o que escolheu antes e fingindo não saber o que quer.


É incrível, como atuam e fingem estarem sentidos e confusos. Para quê? Para aproveitar o erro que eles escolheram mais a vontade e saírem de bons na história. É engraçado, pois planejam os detalhes e mentiras, enfocam a persuasão, manipulando para que o outro, que já não sabe mais o que fazer, tome logo a decisão só para terem como se justificar depois que foi justamente o outro que não soube ser compreensivo nem entendê-lo.


Entristece-me sim e muito, essa falta de honestidade, de gente simulada que se pinta de coitado para cair nos braços de alguém que o ajude a sair daquela relação “complicada” que ele complicou porque agora os seus interesses mudaram.


Entristece-me ver estes jovens usando os outros como objetos de seus prazeres, marionetes de suas jogadas, escondendo-se atrás de religião para pousar de bom cristão.


Quanta frieza e quanta impureza existem nessas almas. Quem não sabe compartilhar, dividir, ouvir e exercer primeiramente em si mesmo aquilo que preza antes de exigir dos outros, jamais dará importância ao ser e sentir dos outros.


Peço a Deus que não me permita, ser contagiada pelo egoísmo e indiferença. Que Deus dê-me percepção de ser humano e não instinto de animal. Que minha dor, minha busca, minhas certezas e incertezas não me tirem a sensibilidade de ser mulher, amiga e companheira. Que dê-me o discernimento e prudência para não ferir e nem esquecer-me de que os outros são humanos como eu.


Ah Senhor, não me deixe esfriar. Misericórdia de mim! E misericórdia dos teus filhos que na ânsia de quererem liberdade e felicidade pensam não precisar de Ti nem de ninguém porque já bastam a eles mesmos.


(J.L.)

3 comentários:

Clláudia Santos disse...

Esse texto é maravilhoso, ele conta a realidade, e quem passou por isso sabe mas do que nunca que tudo que está escrito aqui e verdade, existem pessoas que metem engana descaradamente, machuca os sentimentos de quem apenas lhe amou, lhe respeito apoio em momentos difíceis que esteve sempre ao seu lado.
Mas essas pessoas agem friamente sem pensar na dor que outro irá sentir na desilusão que ele terá. E uma decepção muito grande você confiar e entregar seu amor pensando que conhece a pessoa e depois de tudo isso e que a pessoa mostra realmente quem ela é. Você fica tentando entender o que aconteceu pensando que o erro foi seu, mas não o erro são dessas pessoas que parecem não ter coração e saem abrindo feridas e deixado maguas em coraçãoes inocentes.

Jeania Lima disse...

Sim Cláudia. Só quem passa por isso é que sabe. Existem àqueles que pintam felicidade só pra depois ter o prazer de borrar a tela.

Clláudia Santos disse...

é verdade...