Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!






Nesta escuridão
Que vaga o coração
Errante por condição
Por tanta condenação

Emudece no seu vazio
No seio da aflição
Não repete mais seu ciclo
Cansou da palpitação

De amor ele não chora
Alimentou-se do nada
E outro sangue pulsou

As veias sem ingenuidade
Para viver outra verdade
É inverno sua estação.

(J.L.)

0 comentários: