Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





De onde vem esta voz

Que ecoa sem cessar

Murmúrio e lamentar

De vida sem sonhar


De onde vem esta voz

Que teu nome faz ressoar

Que de ti faz lembrar

E que também faz chorar


Ó voz que não consigo calar

Vai e vem como ondas

Num balanço sem parar


Ó voz para que gritar?

E o eco se multiplicar

Sem fim, sem fim, sem fim...


(J.L.)

0 comentários: