Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





Aquele papo de “ Faço tudo por você” não é cabível no Amor. Da boca pra fora todo mundo diz o que quer,  quero ver enfrentar os percalços, saber aparar as arestas, manter o foco, superar distancia ou saudade, sem capricho algum, mas por ter a certeza do sentimento que disse que tem.

Que amor existe quando o outro se rende a um misero galanteio, rostinho bonito ou velha desculpa de que foi “tentação”? Que amor existe quando não se respeita nem o sentimento que se disse que tinha, quanto mais o sentimento que o outro possa ter.

Cada vez tenho mais convicção da banalização do Amor. Dois dias namorando alguém e já ta escrito em todas as redes sociais que se ama eternamente, que muitas vezes não dura nem seis meses e com términos em ódio. Não houve conhecimento suficiente para aprender um pouco se era amor, mas tava escrito e depois, ah depois sabe-se lá o que a mente absorve de tal relacionamento.

Quanta negligencia, de nossa parte mesmo, quando trocamos o certo pelo duvidoso, quando não sondamos o terreno, quando não dispomos de similaridades de pensamentos e principalmente quando não respeitamos o ser do outro. Quando por uma carência qualquer permitimos que estranhos entrem em nosso coração e que depois partem de forma a deixar ausências bem maiores, roubando o que há de melhor em nós.

Quantas caricaturas do amor encontramos? Quantas fazemos? Quantas admiramos? Quantas amamos?

Eu acredito no Amor e acredito que ele seja dócil, mesmo quando tantos o enfurecem, não há turbilhões, não há emoção a flor da pele, creio que haja calmaria, paciência, tranquilidade. Se o amor não te dá segurança, creio que não seja Amor. Viver incertezas é viver em desconfiança e que amor resistir a noites sem sossego?

Eu gosto de falar do Amor assim, como o sentimento mais simples que olha para o outro e está sempre em prontidão, ele não é bobo, ele é doação mas tem suas exigências, ele supera qualquer obstáculo, não mede distancias, ele é resistente, não se rende a joguinhos de sedução.

E quem pode garantir o Amor? Só quem sente! Quem não tem competência para isso, por favor, não diga que ama nem que fará tudo pelo outro. Sinceridade ainda é virtude admirável, salvou e pode salvar muitos depois.




(J.L.)

0 comentários: