Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





Hoje 22 de maio comemora-se o dia do abraço. É engraçado, ver como tantas vezes nos limitamos a datas comemorativas, mas me pergunto: Será que precisamos de um dia para o abraço? Precisamos de um dia no calendário para demonstrar nossa amizade, nosso carinho, nosso afeto a alguém a quem estimamos?

Nossa vida é tão corrida não é? Acabamos por nos esquecer do que realmente nos faz bem. E diga quem quiser dizer, que não gosta de abraço, de beijo ou de um carinho, as pessoas são sensíveis a tais gestos, até o mais duro coração se rende a tais atitudes. Ninguém é pedra e o homem sem nenhuma espécie de amor estará condicionado a uma vida solitária, cujo sentido é não ter sentido.

Veja, olhe, repare nas pessoas que estão ao seu lado! Ninguém precisa partir para que você diga o quanto ele ou ela era especial para você. Ninguém precisa morrer para que você, só então perceba o quanto aprendeu com aquela pessoa. Poucas coisas na vida trazem tanta alegria ao coração de alguém quanto o afeto demonstrado, quando alguém pode sentir e provar que é importante na vida de alguém. Quando um abraço nos faz esquecer erros, raivas e orgulhos e ali brotar o sentimento do perdão e amor que verdadeiramente há em cada coração.

Abraços são sentimentos bons realizados em gesto, quando palavras já não bastam para expressar o que se sente. Então, deixo aqui o meu abraço mais que apertado e o meu desejo que a vida não nos dê apenas o dia de hoje, mas muitos outros para expressarmos, acolhermos e mergulharmos na imensidão do carinho que salta do olhar com riso nos lábios e se intensifica na força dos braços, nos laços.

( J. L.)


0 comentários: