Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





Recriei minha fortaleza
Reconstruí minhas muralhas
Aquelas que haviam caído
Quando permiti que entrasse

E como em Tróia
Foi a emboscada que trouxeste
Pois o que pensava ser apaziguador
Era mentira que tudo destrói

Reconstruir tudo que veio abaixo foi árduo
Colocar cada tijolo e reencontrar alguma esperança
Sarar as feridas da luta silenciosa que quase matou-me
E velar as compreensões que dediquei

Sim, cá estou eu em volta de meus muros
Reconstruídos e com uma grande porta
Porta que tu jamais entrarás
Porque tu mesmo já baniu-te de mim.


(J.L.)




0 comentários: