Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!




“É apenas um dia que passa
Realidade seja dita
Olhemos e vejamos
Que nossos olhos se abram...”

A vida segue e é assim, um dia após o outro e a esperança precisa ressurgir a cada manhã. A cada nascer do sol. O ano está finalizando, uma sequência apenas de um calendário criado pelo homem para se situar e não muito diferente de muitos, eu sigo alguns parâmetros determinados por mim como precisos, como limpar o armário retirando coisas antigas para dar lugar ao novo... e eu olho pra vida, da mesma forma como olho para meu armário, tiro muitas sujeiras, esvazio-me de coisas imprestáveis...


Este ano eu lutei sozinha muitas vezes, passei por momentos tremendos onde minha fé e confiança foram provados... chorei sozinha... guardei angustias... senti medo... mantive segredos... escondi tormentos... rezei e clamei tanto, tanto a Deus por alívios e paz ao meu coração... e sorri.... Acima de tudo eu tentei sorrir...
Poucos sabem os fardos que carreguei! E Deus sabe que os suportei, com algumas reclamações próprias de minhas limitações. Recordo-me aqui de quando partilhava com uma amiga sobre tais fatos no qual ela me disse: - E onde eu estava quando você passou por tudo isso? E eu conscientemente respondi que precisava passar... por alguma motivo... que eu desconheço... mas que um dia sei que entenderei.


Aprendi assim a vencer muitos medos a não deixar passar para outros minhas tristezas. E eu me revoltei! Sim... e eu briguei por tantas coisas erradas, eu fiz errado, eu tentei fazer o certo... Eu falei demais, explodi, amenizei, tranquei-me, equilibrei-me, reconheci meus erros, pedi perdão... e lá estava fazendo de novo, por ter tanto apreço por coisas que admiro. Paguei alguns preços...


E eu segui... eu sei, eu sou teimosa... eu tenho um impulso voraz... às vezes esqueço de mim pra seguir meus impulsos, minhas emoções se expandem espontaneamente e quase ninguém está preparado pra isso. Eu fui mal interpretada...eu me esforcei para me justificar... eu explico se me permitirem, mas se me querem por errada eu não tenho muito o que questionar o que já está em mente concluído.


Eu conheci pessoas boas, que me apontaram verdades e meus erros... eu sou grata... porque me corrigiram, me pediram pra pensar um pouco mais... e eu pensei e tratei em mudar... e eu ouvi elogios por meu jeito sincero e natural e quem me pediu pra conservar tais virtudes.


Eu vivi muito intensamente, porque cada momento sejam bons ou dolorosos me ensinaram a olhar sempre por um novo ângulo e minhas esperanças não mirraram... eu ainda acredito mesmo as vezes duvidando.
Eu não sei o que me reserva o amanhã neste novo ano que se iniciará... mas eu agradeço por tudo o que vivi, pela graça que Deus me concedeu de chegar aqui e agora. E só peço Sabedoria Senhor, para que eu saiba trilhar os caminhos que virão e discernir como limpar o meu armário.


(J.L.)

0 comentários: