Deixo aqui um pouco de mim. Deixe-me um pouco de você!





Tem tempos que não fazem sentido
Que tudo parece desmoronar
E as forças mirram

O coração mais que aflito padece
Tristezas da vida rotineira
Das causas que aqui estamos sujeitos

É alguém que se vai
É uma doença que nos abate
Ou uma porta que se fecha

Não cansamos de esperar tanto
De tudo e de todos
E vemos o que não queríamos

E teimamos em acreditar
Que um dia irá mudar
Que o bem retornará

Assim eu creio
E forças peço para lutar
As flores ei de ceifar

Quem vai a minha frente
O mar pode acalmar
Assim irei proclamar.

( J. L.)

0 comentários: